Saiba as últimas novidades do projecto de restauração através da nossa Newsletter

Está aqui

Destaques Gorongosa 2019

Mensagem de Pedro Muagura – Administrador do Parque Nacional da Gorongosa
 
2019 tem sido um ano muito turbulento para a província central de Sofala, com eventos de longo alcance, como o devastador impacto do ciclone Idai, mas, por outro lado, também a conquista monumental do Acordo de Paz assinado entre o Governo e a Renamo. Em virtude da sua localização, o Parque Nacional da Gorongosa esteve no cerne destes acontecimentos e envolveu-se na sua missão abrangente de conservação e desenvolvimento.
 
No dia 15 de Março, o ciclone idai atingiu a Beira. Durante a noite a tempestade varreu as províncias de Sofala e Manica e deixou mais de 600 pessoas mortas e afectou mais de 1,3 milhões. A tempestade destruiu centenas de milhares de casas e milhares de hectares de culturas, e arrancou os telhados de escolas e clínicas. As árvores foram desenraizadas em vastas extensões de paisagens. Mas o pior estava para vir para aqueles que vivem em áreas propensas a inundações, muitos deles na Zona Tampão do Parque Nacional da Gorongosa. Com os rios Pungué e Urema a transbordar, as suas casas modestas foram inundadas, campos e colheitas destruídos e as famílias cortadas de qualquer acesso à terra e ajuda ao longo de semanas.
 
Estou imensamente orgulhoso de dizer que a equipa da Gorongosa entrou de peito aberto e imediatamente – antes que a resposta internacional pudesse mesmo entrar em movimento – e iniciou um esforço decisivo de socorro emergencial. Durante meses, não só reabilitámos o próprio Parque – reparámos estradas, pontes, retirámos árvores caídas e preparámos os nossos projectos novamente, mas o mais importante, transformámo-nos numa equipa de distribuição de alimentos e de apoio médico oferecendo assistência aos nossos vizinhos do Parque, neste momento de necessidade. No geral, distribuimos 500 toneladas de alimentos a mais de 80.000 pessoas em algumas das áreas mais afectadas, principalmente ao sul do Parque. Alugámos dois helicópteros para podermos alcançar aqueles que ninguém mais conseguia. Preparámos uma unidade de resposta de emergência e orquestrámos uma operação de socorro bem coordenada. Felizmente, recebemos apoio de muita gente interessada, empresas e organizações e arrecadámos uns surpreendentes 400.000,00 US$ somente do nosso esforço de captação de recursos baseado na Web. A equipa do African Parks proporcionou também um alívio muito bem-vindo à nossa Zona Tampão com o seu helicóptero e equipa técnica. Estou deveras impressionado com tudo aquilo que conseguimos todos juntos durante este tempo de provação. Obrigado a todos pelo vosso trabalho árduo e apoio!
 
A reabilitação pós-ciclone é uma responsabilidade constante, e o rescaldo do Idai continuará a ser sentido por muito tempo. Alguns dos nossos programas de desenvolvimento da Zona Tampão sofreram contratempos significativos e estamos agora focados em ajudar o agricultores locais a ter acesso a sementes para a nova estação de cultivo, enquanto outros programas estão apenas lentamente a recuperar o fôlego após a catástrofe.
 
Ganhámos, no entanto, um novo impulso e esperança pela assinatura do épico acordo de paz entre o Governo e a Renamo. Enquanto já tinham concordado num cessar-fogo em Dezembro de 2016, levou quase três anos para que o acordo de paz fosse realizado. O Parque Nacional da Gorongosa tinha sido central ao longo do processo de negociação e este momento histórico permanece intimamente ligado ao Parque. Todas estas circunstâncias naturais e políticas têm exercido uma forte influência no nosso mandato de conservação e nas comunidades da Zona Tampão com as quais trabalhamos de forma tão próxima. Não sei de nenhum outro parque no mundo que tenha sido tão fortemente afectado e ligado ao destino das populações que vivem ao seu redor como nós fomos em 2019. Mais do que nunca merecemos chamá-lo de “A Nossa Gorongosa – Um Parque para o Povo”. Junte-se a mim lendo o nosso relatório de Destaques de 2019 que lhe dá um vislumbre de cada um dos nossos programas ao longo deste ano. Estamos imensamente gratos a todos os nossos apoiantes, doadores e amigos que continuam a ajudar-nos a apresentar o nosso trabalho. A vossa motivação e estímulo é o que nos faz seguir em frente!
 
A assinatura do acordo de cessação de hostilidades na Gorongosa é uma oportunidade de mostrar ao mundo a ligação intrínseca que existe entre a conservação, a paz e o desenvolvimento. Pedro Muagura, Administrador do Parque, Parque Nacional da Gorongosa