Saiba as últimas novidades do projecto de restauração através da nossa Newsletter

Está aqui

Fauna Bravia das Pastagens

As gramíneas individualmente consideradas podem parecer podem parecer pouco importantes, mas elas são de facto o motor energético de Gorongosa. As gramíneas têm a importante tarefa de converter a energia do sol em alimento para os herbívoros da Gorongosa. Estes incluem não apenas os grandes mamíferos, como os antílopes e os búfalos, mas também mais pequenos, mas não menos importantes organismos: como gafanhotos, besouros e lagartas. Estes, por sua vez, são o alimento de predadores que variam de leões e cães selvagens, a manguços e ginetas, a garças e calaus, a lagartos e a rãs.

 

A quantidade de capim consumida pelos herbívoros da Gorongosa é impressionante: os inhacosos, um antílope comuns nas planícies em volta do Lago Urema, consomem cerca de 8.760 toneladas métricas (quase 20 milhões de libras) de capim em cada ano! Mas a quantidade de capim consumida por gafanhotos e térmites é ainda maior. Esses pequenos mas importantes animais, alimentam-se não só das frescas lâminas verdes de capim, mas também mastigam os talos secos e mortos, quebrando-os e ajudando assim a reciclar as plantas e a adicionar minerais ao solo.

 

O capim é utilizada pelos animais, não só como alimento, mas também como material para a construção de abrigos e ninhos. A Gorongosa tem oito espécies de tecelões que constroem intricados ninhos feitos de capim. Muitos roedores e outros pequenos mamíferos alimentam-se de sementes e caules de capim e usam as lâminas de capim para alinhar as suas tocas subterrâneas