Saiba as últimas novidades do projecto de restauração através da nossa Newsletter

Mestrado em Biologia de Conservação tem lugar no Laboratório de Biodiversidade do Parque Nacional da Gorongosa

19 Agosto, 2018

O Programa de Mestrado em Biologia de Conservação foi concebido pelo consórcio  BioEducação” composto pela: Universidade Zambeze, Universidade Lúrio, Instituto Superior Politécnico de Manica e O Parque Nacional da Gorongosa. Pretende-se, através deste mestrado, dar uma formação sólida em biologia da conservação, ecologia e gestão ambiental.

 

Consórcio de BioEducação: Universidade Lúrio, Universidade Zambeze, Instituto Superior Politécnico de Manica e Parque Nacional da Gorongosa Mestrado em Biologia de conservação

 

 

O Consórcio BioEducação é constituído em parceria com Universidade Lisboa de Portugal e suportado pelo Fundo de Desenvolvimento Institucional e pela Fundação Americana “Howard Hughes Medical Institute of Science Education” dos Estados Unidos da América.

 

O grupo é composto por doze (12) estudantes dos quais cinco (5) do sexo feminino e sete (7) do sexo masculino. O mestrado tem duração de 22 meses e fornecerá aos estudantes uma compreensão crítica e conceptualmente sofisticada bem como experiências práticas para fazerem a diferença na área da conservação em Moçambique.

 

Este mestrado, considerado como um dos primeiros numa área de conservação, irá proporcionar aos estudantes a oportunidade de aplicar conhecimentos, competências e atitudes desenvolvidas durante o curso, inserirá o estudante no contexto do desenvolvimento da pesquisa, possibilitará o confronto entre o conhecimento teórico e prático e dará ao estudante a oportunidade de solucionar problemas técnicos reais.

 

A este grupo temos a honra de endereçar as boas vindas, dar-lhe os parabéns pela dedicação e encorajá-lo a trabalhar em prol da conservação em Moçambique e além-fronteiras. O Projecto de Gorongosa procura integrar a conservação e o desenvolvimento humano com a compreensão de que um ecossistema saudável irá beneficiar os seres humanos, os quais por sua vez se sentirão motivados para apoiar os objectivos do Parque Nacional da Gorongosa.

 

A investigação científica faz parte integral do plano de longo prazo para a restauração do ecossistema da Gorongosa, porque um profundo conhecimento do ecossistema da Gorongosa irá ajudar a gestão do Parque a tomar melhores decisões sobre a sua conservação. 

 

O Laboratório de Biodiversidade E.O. Wilson foi inaugurado em Março de 2014, e colocou a Gorongosa como um dos pólos de investigação mais avançados da África Austral. O Laboratório atraiu a atenção nacional, regional e internacional e cientistas de diversas

instituições têm estado a fazer investigação no Parque: 

 

as Universidades Eduardo Mondlane e Universidade do Lúrio em Moçambique, a Universidade de Coimbra, em Portugal, e as Universidades de Harvard e Princeton, nos EUA.

 

Um dos papéis mais importantes do Laboratório é providenciar formação à próxima geração de cientistas moçambicanos no Parque e também enviá-los para universidades de modo a tirarem diplomas avançados. Alguns jovens (provenientes das comunidades vizinhas do Parque ou das escolas técnicas da região centro), que recebem assistência financeira total ou parcial do Laboratório, já começaram a estudar em universidades e escolas de nível médio para futuras carreiras como veterinários, ecologistas e técnicos de laboratório.

 

 

 

Ministério da Ciência e Tecnologia, ENsino Superior e Técnico Profissional

 

 

 

Categoria: 
Park News