Está aqui

Piotr Naskrecki, PhD.

Piotr Naskrecki, PhD.

Director-Adjunto do laboratório E.O. Wilson

 

Sou originariamente da Polónia, mas agora resido em Massachusetts. Sempre fui fascinado pela diversidade da vida, pela sua evolução e beleza. Obtive o grau de mestre em Zoologia na Universidade A. Mickiewicz, na Polónia, e doutorei-me em Entomologia na Universidade de Connecticut, Estados Unidos. A minha especialidade é a evolução dos insectos que cantam (gafanhotos e afins) e biologia da conservação de invertebrados. Além disso, sou também fotógrafo da natureza e escritor. O meu escritório é no Museu de Zoologia Comparativa da Universidade de Harvard, Cambridge, MA. A minha esposa Kristin e eu conhecemo-nos na universidade e temos dois “filhos" cabeludos, os cachorros Bam B. e Max.

 

Visitei o Parque pela primeira vez em Maio de 2012, na qualidade de membro de uma expedição científica liderada pelo biólogo de Harvard, Edward O. Wilson. A nossa missão era documentar a diversidade de vários grupos de insectos. Fiquei simplesmente encantado com a riqueza da vida que testemunhei na Gorongosa, assim como com a diversidade e pureza dos habitats naturais encontrados no Parque. Enquanto estava lá, tornei-me profundamente interessado ​​nos esforços para a criação de um laboratório de pesquisa moderna da biodiversidade no Parque. Uns anos antes, eu havia sido envolvido num projecto similar numa das áreas protegidas da Costa Rica e, imediatamente, reconheci o incrível valor e potencial do laboratório planeado. Pouco tempo depois, Greg Carr pediu-me  para integrar a equipa científica do laboratório e eu fiquei mais do que feliz com a perspectiva de poder ajudar.

 

O meu papel no Parque Nacional da Gorongosa é duplo. Como cientista, ajudo no desenvolvimento de um centro de pesquisa moderna, o Laboratório E. O Wilson, destinado a tornar-se o centro principal de pesquisa da biodiversidade em Moçambique e, creio, na maior parte do sudeste da África. Um elemento importante do laboratório é a colecção sinóptica de animais e plantas encontrados no Parque, que estará disponível para estudantes e cientistas que pretendam aprender a identificar e a proteger a herança biológica de Moçambique.

 

Como fotógrafo da natureza e escritor, estou envolvido em projectos que promovem no mundo as riquezas biológicas da Gorongosa. Tal inclui escrever um guia de campo para vida selvagem do Parque e um documentário acerca da vida dos insectos da Gorongosa.

 

O cientista em mim vê a Gorongosa como um laboratório de interações ecológicas complexas, um lugar repleto de formas de vida belas e fascinantes. Cada passeio nas encostas da Serra da Gorongosa, nos pastos da savana, nas margens do Lago Urema, traz consigo a promessa de novas observações e descobertas. O conservacionista em mim quer que a Gorongosa se torne o farol para uma coexistência saudável e pacífica entre o povo que vive na região há centenas de milhares de anos e o mundo natural. A história de Gorongosa é uma história de perseverança e optimismo, uma história de um local abençoado pela Natureza. Eu sei que a Gorongosa será um sucesso, e eu quero ser parte dele.