Está aqui

Proteger a Fauna Bravia da Gorongosa

Diário do Fiscal

"Procurar uma armadilha é como procurar uma agulha num palheiro! A Gorongosa é uma vasta área selvagem e os caçadores furtivos têm muitos lugares para onde ir e muitos lugares para armar as suas armadilhas. Mas o meu trabalho é encontrar as armadilhas antes que os animais sejam apanhados nelas. Para o fazer, eu tenho que pensar como um caçador furtivo. Onde é que os animais se reúnem? Quando é que eles lá vão? Que caminhos é que eles usam? Estas perguntas permitem-me procurar os lugares onde uma armadilha poderá estar. Eu olho para "caminhos feitos por animais", lugares onde o pisar constante de cascos de animais compactaram a terra. Olho também para as fezes dos animais (ou cocó como lhe poderá chamar) e posso dizer quais são os animais que estão a usar aquele caminho e quando estiveram ali pela última vez. Mas quando eu chegar à área geral onde os animais podem reunir-se, eu ainda tenho que encontrar a armadilha. Essa é a parte mais difícil. Ela está escondida e poderá estar em qualquer parte. Mas, se sabemos, podemos ver as evidências. Temos sido bem treinados para "ler os sinais”...

 

Aqui, eu vejo que o solo e as folhas foram perturbados - isso significa que houve algum tipo de actividade fora do normal. Olho em volta. Ali, vejo que um ramo forte foi dobrado como um arco em direcção ao chão. Os meus olhos seguem o ramo para baixo e depois vejo: um arame que vai do final do ramo até um pau enterrado na terra e  coberto com folhas. Quebro uma vara, pico as folhas e zás! Um laço de arame à volta do pau e do ramo chicoteia para trás. Se fosse o casco de um animal que tivesse tropeçado no pau, ele estaria preso e condenado. Ou a armadilha poderia ter enlaçado um dos nossos majestosos leões, talvez uma leoa com filhotes ainda pequenos. A armadilha não distingue qual o animal que coloca as suas patas na armadilha. Ela captura qualquer coisa que tenha o azar de pisar nela. Eu olho em volta e vejo evidências de mais armadilhas. Onde há um laço, geralmente há muitos mais. Apenas um irá apanhar um animal, mas quanto mais armadilhas forem montadas, mais hipóteses existem de apanhar um animal. Naquele dia, eu encontrei 15 armadilhas e destruí-as todas.

 

Assim como toda gente que trabalha na Gorongosa eu estou satisfeito por ter um emprego, mas este é um trabalho muito especial e num lugar muito especial. Vou para a cama todas as noites, sob este tecto enorme de estrelas brilhantes, sabendo que tenho ajudado a salvar a vida de muitos dos nossos preciosos animais. Todos os dias, eu acordo com uma enorme determinação e um sentido de missão e orgulho. A batalha para salvar os nossos animais e este precioso Parque Nacional, o meu Parque Nacional, trava-se todos os dias. Nós não podemos descansar. Nós não vamos parar até encontrarmos todas as armadilhas."

Os 120 fiscais que patrulham a área selvagem da Gorongosa são os nossos heróis. Mas encontrar armadilhas é apenas uma das maneiras de proteger e guardar este belo parque. Nós também plantamos árvores e trabalhamos com as comunidades que vivem dentro e ao redor do Parque.