Está aqui

Monitorização Básica do Ecossistema

Além de extremamente importantes estudos científicos, a equipa do Departamento de Serviços Científicos também está a realizar a monitorização dos ecossistemas a longo prazo e em grande escala. Os dados que estão a ser recolhidos constituem a base do conhecimento científico sobre a qual as nossas decisões sobre restauração e conservação serão feitas.

 

Este trabalho é fundamental para a Gorongosa mas também irá fornecer dados de base no futuro para os cientistas e conservacionistas de todo o mundo que trabalhem para restaurar ecossistemas danificados. A Gorongosa é uma espécie de laboratório vivo, onde cientistas interessados em "ecologia da restauração" podem testar ideias sobre como restaurar os lugares selvagens do mundo que estejam danificados. Esta ciência se tornará ainda mais importante para as gerações futuras, dado que a humanidade está a procurar corrigir alguns dos efeitos adversos da “pegada” humana.

 

Alguns exemplos das monitorizações em curso são:

 

Monitorização das Queimadas – O fogo é uma componente vital para as nossas pradarias e florestas. Ele rejuvenesce a camada de capim e fornece uma recarga nutritiva para os herbívoros. Impede a invasão por espécies lenhosas. Devido à falta de um número suficiente de "grandes herbívoros" como as zebras e os búfalos, a Gorongosa tem mais fogos do que deveria. Estamos a monitorar a ocorrência de incêndios no espaço e no tempo, e a estudar a interacção em detalhe entre o fogo, a vegetação e os animais.

 

Monitorização da Composição e Estrutura da Vegetação – Em 2010 foi estabelecido um número de parcelas permanentes de monitorização para acompanhar a composição, a estrutura e a produtividade da vegetação. Durante 2011, expandimos este programa e já voltámos a inventariar algumas das parcelas originais.

 

 

Monitorização das Populações de Fauna Bravia – Temos vindo a monitorar as populações de animais selvagens no Parque regularmente desde 2007 por meio de levantamentos aéreos para controlar as alterações ao longo do tempo e para medir o impacto dos nossos esforços de conservação. Estes levantamentos aéreos também são complementados com levantamentos ao nível do solo, inventários nocturnos, e inventários específicos para grupos de espécies - tais como as aves e os anfíbios.