• Gafanhotos do Mato
  • Gafanhotos do Fogo
  • Gafanhotos do Mato
  • Gafanhotos Macaco

Os Gafanhotos Macaco (Euschmidtia) parecem ter sido desenhados por um humorista, e não um animal verdadeiro. Eles têm olhos grandes e expressivos e antes de cada salto movimentam o seu corpo de um lado para o outro, como que a calcular a distância.

 

Todos os gafanhotos se alimentam de plantas. Nas planícies da Gorongosa eles têm um efeito  semelhantes ao dos grandes herbívoros, como os búfalos e os bois-cavalos – ao comer algumas plantas, permitem que outras possam florescer e a diversidade das plantas é mantida em equilíbrio. Embora eles compitam por alimento com os antílopes e os outros herbívoros, a sua presença não somente garante que nenhuma única espécie de planta predomine na savana, mas também proporcionam um alimento altamente nutritivo aos pequenos mamíferos e às aves.

 

Os Gafanhotos do Mato (Phymateus viridipes) alimentam-se de plantas tóxicas, e são capazes de armazenar compostos nos seus corpos que os tornam desagradáveis para a maioria dos predadores. Eles anunciam este facto através de uma coloração brilhante e têm poucos inimigos naturais. Em contraste, os Gafanhotos do Fogo (Tmetonota rugosa), são mestres em confundir-se entre pedaços carbonizadas de capim e ramos. Eles são capazes de sobreviver às queimadas das savanas, que são um evento natural que acontece todos os anos na Gorongosa. A diversidade de gafanhotos da Gorongosa é muito alta, e os cientistas descobriram recentemente várias novas espécies no Parque.