Está aqui

Escaravelhos do esterco

  • Escaravelho do esterco de cor verde (Garreta nitens)
    Escaravelho do esterco de cor verde (Garreta nitens)
  • Bruno de Medeiros com um dos maiores escaravelhos do esterco que se encontrou na Gorongosa, Pachylomerus femoralis.
    Bruno de Medeiros com um dos maiores escaravelhos do esterco que se encontrou na Gorongosa, Pachylomerus femoralis.
  • Fêmea (Heliocopris sp.)
    Fêmea (Heliocopris sp.)
  • Macho (Heliocopris andersoni), um dos maiores e mais impressionantes escaravelhos do esterco de África.
    Macho (Heliocopris andersoni), um dos maiores e mais impressionantes escaravelhos do esterco de África.
  • Escaravelhos do esterco cor-de-ameixa (Anachalcos convexus)
    Escaravelhos do esterco cor-de-ameixa (Anachalcos convexus)

É difícil não ficar impressionado com as formas incríveis e as cores dos escaravelhos. Numa recente pesquisa da biodiversidade na Gorongosa, os cientistas estimaram ter obtido pelo menos 100 espécies de escaravelhos. Esta é realmente uma boa notícia para o ecossistema da Gorongosa. Com o declínio dos grandes mamíferos da Gorongosa, os escaravelhos certamente devem ter sofrido com a queda brusca de esterco disponível, mas o seu habitat ainda está em boa forma. Isto significa que, à medida que os grande mamíferos retornem, os escaravelhos do esterco serão capazes de tornar-se em grande número rapidamente e desempenhar os seus serviços ingratos, mas de valor inestimável.

 

Os escaravelhos são membros criticamente importantes da savana que predomina na Gorongosa, e sem eles e o seu serviço de remoção de resíduos, o lugar iria afundar rapidamente sob as camadas de esterco produzida por milhares de animais. Quando eles decompõem o esterco, eles retornam nutrientes para o solo, o que ajuda as plantas a crescer, alimentando os herbívoros e assim produzindo mais esterco para os escaravelhos.

 

Os escaravelhos não são apenas úteis e bonitos, eles também são extremamente interessantes - um estudo recente mostrou que eles são os únicos insectos conhecidos que se orientam através da posição da Via Láctea e de outras galáxias. Somente os seres humanos (e possivelmente alguns outros animais) utilizam a posição dos corpos celestes para encontrar o seu caminho.

 

Veja neste pequeno filme, que reflecte um lapso de tempo que abrange 10 horas de actividade dos escaravelhos do esterco, o que acontece com o esterco dos facoceros (javalis africanos) da Gorongosa: