Está aqui

Mundo em Miniatura

É fácil ter a impressão de que os animais que dominam as paisagens africanas são em larga medida os grandes herbívoros e os seus predadores. Mas um olhar mais atento revela que as savanas e as florestas da Gorongosa estão repletas  com milhares de espécies de pequenos animais - insectos, aranhas, lagartos e sapos - cujo papel nestes ecossistemas pode ser ainda mais importante do que o dos seus primos mais corpulentos. Esses pequenos animais muitas vezes passam despercebidos, ou às vezes são apenas vistos como um incómodo. Mas, sem eles, a vida nas planícies da Gorongosa seria muito difícil, se não impossível.

 

É graças aos insectos e a outras pequenas criaturas que as plantas são polinizadas, os solos se tornam mais férteis, a água dos rios é filtrada, as pragas portadoras de doenças são mantidas sob controlo, e os filhotes das aves são alimentados. Estes pequenos animais também oferecem serviços semelhantes e inestimáveis às machambas à volta da Gorongosa. Com excepção do mosquito que transmite a  malária, praticamente nenhum destes pequenos animais da Gorongosa apresenta qualquer risco para os seres humanos. Pelo contrário, devemos apreciá-los pela sua beleza e valor para o mundo da natureza.

 

A verdadeira diversidade do mundo micro da Gorongosa ainda é um mistério, e os números exactos de espécies de insectos, aranhas, ou rãs que vivem no Parque são desconhecidos. Mas cada dia traz-nos novas descobertas: recentemente, cientistas confirmaram que pelo menos 200 espécies de formigas vivem na Gorongosa, e algumas delas não podem ser encontradas em nenhum outro lugar do mundo. A diversidade de gafanhotos, louva-a-deus, besouros e rãs é igualmente muita rica. É possível que os diversos ecossistemas do Parque Nacional da Gorongosa sejam o lar de pelo menos 50.000 espécies de insectos e de outros pequenos animais.