Um Encontro com os Irmãos Brando

31 Outubro, 2012

A noroeste do Lago Urema encontramos ... os irmãos Brando! Dois dos mais belos leões machos da Gorongosa. Eles formam uma "coligação" e este termo refere-se a um grupo de machos que se unem para caçar e proteger o território, enquanto que um "bando" se refere a um grupo de fêmeas, machos e os seus filhotes.

 

Isto é o que se passou à noite... nós estavam acampados numa área que não tínhamos explorado antes, quando ouvimos quatro leões rugindo ao longe, muito distantes, a partir de diferentes direcções. Decidimos ficar imóveis na esperança de que um ou mais viesse para mais perto de nós e pudéssemos identificar a sua localização – de facto, por volta das 3 horas da manhã, acordámos com rugidos quase em cima de nós! Pulámos para o carro e conduzimos em direcção aos sons que ouvíamos, e a menos de meio quilómetro de distância, vimos um leão macho ... com outro macho logo atrás dele.

 

Foto: Imagens da câmara térmica 

 

Lentamente recuámos à medida que eles se moviam e alternadamente descansavam e depois caminhavam.

 

Quando o sol surgiu e pudemos observá-los melhor, Jeff Trollip (guia do Parque e o pisteiro do Projecto Leões da Gorongosa) disse-nos que suspeitava que eram os irmãos Brando. Mais tarde confirmámos que eram mesmo eles – quando comparámos cuidadosamente as manchas do bigode, as cicatrizes, a coloração e os dentes em falta, com o banco de dados de identificação de leões que temos vindo a compilar ao longo do tempo.

 

Esperamos colocar um colar de rastreio num dos irmãos Brando e acompanhar seus movimentos e encontros ao longo dos próximos anos.

 

Foto: Brando Sénior  

 

Foto: Brando Júnior 

 

Enquanto seguíamos os irmãos Brando, Trollip viu qualquer coisa que se movimentava para lá da linha de drenagem. "Hum, o que é aquilo, um chango?", Murmurou, concentrando-se nos seus binóculos. Pausa. "Não, não é - é outro leão! Uma leoa! Os irmãos ainda não a estão a ver... "

 

Todos nós assistimos, boquiabertos, enquanto os irmãos Brando cruzaram a linha de drenagem e se imobilizaram. "Eles apanharam o cheiro dela!" sussurrou Trollip.

 

Foto: Leoa vista a fugir 

 

Quando o primeiro irmão chegou à parte superior da vala de drenagem, a leoa viu-o, virou-se e começou a trotar para longe dele. Ligámos o motor  do jipe para os seguir e começámos a dirigir-nos para a frente quando... espera, o que é que este som sibilante?

 

Trollip pôs a cabeça fora da janela do lado do motorista. "Pneu furado", exclamou. Este foi o segundo furo desde que deixámos Chitengo e portanto já tínhamos usado o sobressalente – não havia maneira de atravessarmos a profunda vala sem danificarmos seriamente o jipe.

 

Olhámos através da drenagem e a leoa estava em plena corrida com os dois irmãos em perseguição. Tudo o que tínhamos até agora eram algumas fotos pouco nítidas dela, certamente não o suficiente para fazer uma identificação positiva. Ela uma leoa que já conhecíamos, ou uma que ainda não tínhamos visto? Houve um gemido colectivo de frustração, enquanto observávamos os três leões correrem até ficarem fora do nosso alcance.

 

Foto: Brando Sr. (esq.) e Brando Jr. (dir.) 

 

Independentemente do fim abrupto do nosso encontro, reunimos algumas informações muito úteis! Estamos a começar a operação de colocação de colares de satélite esta semana, e o fato de que ouvimos quatro leões e vimos três nesta área significa que é um bom lugar para começar a procurar quando o Rui Branco – o nosso veterinário - chegar.

 

 

Nós vamos ser capazes de começar a recolher dados sobre o modo como os leões se movimentam assim que os colares estejam colocados - os colares de satélite registam oito posições em cada dia. Estes dados nos darão informações valiosas sobre os seus territórios em geral. Também esperamos que os leões com colar nos levem até outros leões, para que possamos ter mais conhecimentos sobre a estrutura dos bandos, a sua reprodução e as causas de mortalidade ao longo do tempo. O que também significará mais histórias e fotos para os nossos “posts” ...

 

 

Não percam os próximos encontros!

 

Por Constance Taylor (Projecto Leões da Gorongosa)

 

Categoria: 
Diários da Selva