Nove Boas Razões para Visitar a Gorongosa

13 Janeiro, 2013

1. Conhecer a diversidade da vida selvagem

A Gorongosa possui alguns dos habitats mais originais e diversificados de toda a África. A floresta tropical na Serra da Gorongosa eleva-se acima das planícies aluviais, de uma cor esmeralda exuberante e repletas de milhares de animais. Vai encontrar mais inhacosos nas nossas planícies do que em qualquer outro parque em África – e é por isso que a Gorongosa é chamada o "Serengeti do Sul".

 

Florestas de acácias amarelas delimitam a planície de inundação, a que se seguem florestas de palmeiras onde se escondem elefantes e búfalos. O epicentro do Parque Nacional da Gorongosa – o Lago Urema - é o lar de aglomerações  de hipopótamos e dos maiores crocodilos de África. Venha visitar e conhecer por que é que a Gorongosa é um dos melhores parques de África.

 

2. Deliciar-se com um safari exploratório verdadeiramente selvagem

Suba a bordo de um dos nossos jipes de safari e comece a sua aventura numa África desconhecida. Um safari interpretativo irá levá-lo até ao coração da Gorongosa e expô-lo aos meandros das humildes térmites, dos altaneiros falcões e de tantos outros animais invulgares. Maravilhe-se com o seu primeiro vislumbre de uma planície repleta de cascos e lembre-se de respirar quando olhar para o lago Urema com a Serra da Gorongosa como pano de fundo. Não desperdice o momento em que o seu guia anunciar pegadas recentes de leão, actividade de elefantes ou excrementos frescos de búfalo – sentirá que a vida está ao seu redor. Mergulhe na emoção de encontrá-los, ainda que os tenha visto muitas vezes, ver fauna bravia deste nível na Gorongosa significa muito mais do que em outros parques na África, significa que os nossos esforços de conservação estão a resultar!

 

3. Despertar a sua alma e os seus sentidos

Um safari a pé no Parque Nacional da Gorongosa vai revelar-lhe um mundo que muito poucos viram. A Gorongosa tem uma enorme extensão e uma grande parte do Parque não é acessível a veículos, o que é perfeito. Venha explorar áreas onde ninguém pôs os pés durante os últimos 20 anos. Sinta-se vivo, com um sentimento de verdadeira participação num ecossistema pleno de vida, à medida que os seus sentidos atingem o seu pico a partir das vistas, sons, texturas de cheiros e até gostos. A experiência de seguir a pista de grandes animais despertará todos esses sentidos adormecidos de forma muito rápida. Descubra o que muitos de nós tomamos hoje como um dado adquirido, como antigos usos medicinais de plantas, transmitidos através de gerações, e experimente como a mais pequena coisa, muitas vezes tem o maior impacto. Um passeio a pé no Parque Nacional da Gorongosa é para aqueles que querem saber mais e entender o que muitos têm esquecido.

 

4.  A fonte da Gorongosa

Elevando-se 1.863m acima da planície aluvial aí está a Serra da Gorongosa. Ela é uma verdadeiramente abastecedora da Gorongosa, abrindo os seus braços de granito para receber o ar carregado de humidade que percorre as terras planas de Moçambique. Muita desta água é absorvida pela Serra da Gorongosa e dá origem a uma floresta tropical quase intacta que abraça as encostas deste gigante. A água restante flui encosta abaixo em ravinas esculpidas ao longo de séculos e cria espectaculares quedas de água e cascatas antes de reabastecer o Parque.

 

As águas da cascata do Murombodzi caem de mais de 100m de altura em piscinas de uma limpidez cristalina. A melhor experiência é uma caminhada até à orla da floresta tropical, serpenteando através de fenos e rochas cobertas de musgo que fazem com que sinta que em cada passo está a ser vigiado por um “hobbit” ou por uma fada. O canto do papa-figos de cabeça verde e a cacofonia causada por outras aves reverberam através da floresta. A copa elevada deixa apenas entrar estrias de luz que tocam o chão da floresta e iluminam delicadamente flores ricamente coloridas, no meio de uma tela verde escura. A beleza que o rodeia irá emudecê-lo para que a mente possa absorver esta beleza de outros tempos.

 

5. As aves

Uma maravilhosa avifauna aguarda em Gorongosa pelos apaixonados pela observação de aves que queiram ver crescer a sua lista pessoal, e pelos viajantes que pouco saibam sobre aves. A Gorongosa proporciona um caleidoscópio de cor e variedade, com cerca de 400 espécies e algumas espécies raras que aqui são fáceis de encontrar. A coruja-pescadora, o papa-moscas preto-e-branco, o rolieiro-cauda-de-raquete, a escrevedeira Cabanis, o touraco de Livingstone, O papa-figos de cabeça-verde, a apalis Chirinda, a felosa de bigodes, o calau-queixo-prateado para citar apenas alguns, são vistos na maioria das viagens de observação de aves.

 

6. As raridades

Existem criaturas raras e únicas à espreita na Gorongosa. Vamos começar com um favorito entre os guias de safari, o papa-formigas couraçado (ou pangolim). Nos meus oito anos como guia em toda a África eu vi apenas dois Pangolins mas a Gorongosa proporcionou-me 10 avistamentos deste animal pouco compreendido e fortemente perseguido. A civeta Africana é outro animal que poderá vislumbrar ocasionalmente num safari em África, mas na Gorongosa está garantido o avistamento desta estranha criatura de gato listrado da noite. A ratazana-das-canas (um roedor maior do que o “Jack Russell Terrier”) pode ser encontrado deambulando através das picadas. Um ruído alto por entre os arbustos à noite evoca pensamentos de um animal enorme, mas acaba por ser um amigável porco-espinho. O gato serval é uma visão excitante e comum na Gorongosa. Raridades menores incluem os manguços de cauda tufada, aquático e de cauda branca. O som estranho do rufar dos quatro dedos do musaranho-elefante pode ser ouvido, ainda que quase imperceptível, ao anoitecer. Existem 18 tipos diferentes de espécies de antílope no Parque incluindo as pala-palas, as gondongas, os oribis, os cabritos vermelhos e os antílopes suni. Uma raridade entre os répteis é a tartaruga de casca mole do Nilo, que pode ter uma carapaça de um metro de diâmetro.

 

7. A via da água

A água dá vida e vigor a tudo na Gorongosa, e não há melhor maneira de ver isso do que por barco. Nesta estação chuvosa estamos a mapear as vias aquáticas  da Gorongosa para fornecer uma experiência na qual nos sentimos afortunados por poder participar. Começando no Rio Pungué, que forma uma das fronteiras do Parque, serpenteamos lentamente rio abaixo, observando uma grande diversidade de aves. Crocodilos com mais de 4 metros de comprimento dormitam nas profundezas escuras à nossa volta. Vemos uma manada de elefantes a beber e hipopótamos grunhindo, com desdém pela nossa presença, antes de submergirem. Imagine acampar nas margens do rio, num local inacessível a pé ou por carro e saber que está verdadeiramente em plena natureza selvagem. O Pungué encontra o Rio Urema, e esta é a nossa melhor oportunidade de ver fauna bravia. A partir daí o nosso destino não é outro senão o Lago Urema que cobre uma grande parte do Parque, mas que, até há pouco, apenas tinha sido explorado a partir do ar.

 

8. As pessoas da Gorongosa

Os membros da população local da Gorongosa são algumas das pessoas mais fortes que eu conheço e são também algumas das pessoas mais prestáveis e felizes que eu já tive o privilégio de conhecer.

 

O Parque Nacional da Gorongosa está a ensinar e a inspirar os Moçambicanos locais por meio do Centro de Educação Comunitária, escolas locais, clínicas, criação de emprego e muitas outras coisas. Este é um Parque Nacional de Moçambique - para as pessoas, e apoiado pelo povo de Moçambique. Venha compartilhar uma risada com a mulher que vai buscar água ou ouvir um relato sobre a história de Moçambique feito pelo ancião da aldeia, venha experimentar a diferença que só uma visita à Gorongosa pode proporcionar.

 

9. A Gorongosa à Noite

A selva Africana ganha vida à noite. Os grandes felinos durante o dia parecem ter uma vida de lazer, mas o seu trabalho começa assim que anoitece. Antílopes, macacos-cães e javalis estão sempre à espreita dos predadores nocturnos. À medida que o calor do dia se dissipa, todos os tipos de pequenas criaturas associam-se à noite, desde insectos chilreantes e  sapos cantores a gálagos chorando de forma assustadora. Se é o tipo de pessoa que também ganha vida à noite, participe de um dos safaris nocturnos da Gorongosa  para descobrir este mundo secreto depois do escurecer. Aproveite um momento para fechar os olhos e ouvir os macacos-cães latindo ao longe, a cacofonia das pequenas criaturas, e o crepitar de um galho que poderá ser um predador silencioso. Abra os olhos e olhe para o céu, iluminado pelas galáxias de estrelas e por uma lua brilhante.

 

Por Jeff Trollip e Ilze Waagenar

 

Categoria: 
Diários da Selva