As Maravilhas Escondidas do Chitengo

15 Abril, 2013

Sendo o Director de Media do “Gorongosa Restoration Foundation”, eu tenho tido a sorte de ter visitado o Parque Nacional da Gorongosa em muitas ocasiões e de ter visto inúmeras e belas paisagens. Mas agora, com a minha família aqui comigo, eu estou a experimentar ver o Parque através dos seus olhos. E ver a Gorongosa através dos olhos de meus dois filhos é uma autêntica revelação!

 

Nós, adultos, muitas vezes só vemos os grandes animais da Gorongosa: os leões, os elefantes, os búfalos, etc. Nós comemoramos um bom avistamento dessas criaturas magníficas e brindamos a uma grande foto com luz dourada, perfeitamente focada, obtida com uma lente de grande alcance. Mas os meus filhos, Daniel (7 anos) e Iona (5 anos) fizeram-me lembrar a maravilha das criaturas "menos encantadoras" que se “escondem à vista” de todos no acampamento de Chitengo.

 

Foto: Esta aranha tecelã dourada fez um grande sucesso

 

Por exemplo: os facoceros! Para muitos adultos, eles são apenas feios porcos selvagens que vagueiam e escavam o solo enquanto procuram as raízes mais saborosas. Os facoceros muitas vezes não fazem parte da lista de “animais a ver” de muitos dos nossos visitantes. Mas para os meus filhos, os facoceros são uma maravilha da natureza! Juntos, tal como jovens David Attenboroughs, eles observam as famílias de facoceros de Chitengo, ofegando com espanto e dando gritos de alegria. (O personagem de Pumba, do “Rei Leão”, deve ter algo a ver com essa fascinação!)

 

Foto: Alguns dos inúmeros facoceros de Chitengo que vagueiam à volta dos bungalows.

 

Há também uma família de macacos de cara preta que descem da árvore, junto ao nosso bungalow com tecto da capim, todas as manhãs depois do amanhecer. Os seus diminutos, mas semelhantes aos humanos, gestos e expressões mantém os meus filhos absolutamente extasiados. O meu filho, Daniel, acenou para um deles e disse: “Olá” e está absolutamente convencido que o macaco acenou para ele de volta! Ele espera que esta sua nova amizade irá  florescer nos próximos meses!

 

Enquanto os macacos de cara preta obtém os polegares para cima, os macacos-cães obtém os polegares para baixo... porque os meus filhos acham que eles cheiram mal. Eles têm alguma razão: o cocó do macaco-cão tem um odor muito forte e característico. Estas questões de natureza olfactiva são, provavelmente, de grande importância no mundo dos macacos-cães e o cocó mal cheiroso de um macaquinho é um tesouro perfumado para outro macaco. Os meus filhos, no entanto, não estão assim tão convencidos da importância vital do cocó mal cheiroso na sociedade dos macacos-cães.

 

Foto: Iona (5 anos) pratica a matemática enquanto conta as pernas de uma centopeia

 

E depois temos os insectos: a infinita variedade e formas milagrosas das criaturas que zumbem e vagueiam pelo ar ou pelo chão. Nós, adultos, há muito que superámos qualquer obsessão e arregalar de olhos com insectos que, eventualmente, tivemos quando crianças. Mas os meus filhos lembram-me que devemos tentar reacender este caso amoroso com "as pequenas coisas que comandam o mundo" (como lhes chama E.O. Wilson). Para os meus filhos, esses insectos são os verdadeiros tesouros ocultos de Chitengo! Fantásticos louva-a-deus predadores que rivalizam com qualquer criatura de “faz-de-conta”  que os meus filhos viram num filme da Pixar: os seus movimentos tipo “robot” e o bizarro olhar quase humano são absolutamente hipnotizantes. Incríveis traças falcão, aranhas e gafanhotos estão por toda parte para onde olhamos, especialmente agora, no fim das chuvas. E as crianças são os pequenos exploradores perfeitos para este extraordinário mundo micro. Cada insecto primorosamente concebido que eles encontram representa uma incrível jornada na estrada da evolução dos insectos, uma obra-prima de forma, cor e padrão. Mas, seguros, como se fossem pequenas fadas, nas mãos gentis dos meus filhos, eles são simplesmente "totalmente incríveis" e "muito giros!" (Eles mantiveram uma traça falcão como  um “animal de estimação" durante aproximadamente 4 horas na noite passada e trataram-na como se fosse o “hamster” da família . Os adultos, finalmente, tiveram de intervir e libertar a traça.)

 

Foto: Daniel (7 anos) com um novo amigo

 

Estar com meus filhos em Chitengo, fez-me perceber que a magia da Gorongosa não é apenas o rugido de um leão, os belos chifres de uma pala-pala ou a conhecida silhueta de uma manada de elefantes nas extensas planícies do Parque. É também aqui no Chitengo, mesmo debaixo de nossos pés. O meu filho vem da casa de banho do restaurante, com um enorme sorriso no rosto: "Pai, há um dragão de Komodo na casa de banho". (Presumivelmente, ele está a referir-se a uma pequena lagartixa.) Então, ele pega na minha mão, e leva-me para mais um momento inesquecível e maravilhoso...

 

Eu também percebi outra grande coisa sobre Chitengo. Quando estamos nos EUA, os meus filhos pedem-me "tempo de media" várias vezes ao dia. (Eles não conseguem o que pedem, mas isso não os impede de pedir na mesma.) Nós estivemos aqui por 3 dias e nem uma só vez eu ouvi essa persistente e irritante pergunta: "Pai, posso jogar no teu iPad?” Isto sim, é o milagre da Natureza!

 

Foto: Um dia perfeito no Chitengo acaba sempre com um mergulho na piscina!

 

Foto: “Juntem-se a nós! A água nesta óptima!”

 

Por James Byrne

 

Categoria: 
Diários da Selva