Água Fresca para Nhanguo

21 Maio, 2013

Por James Byrne - As últimas semanas foram emocionantes para Nhanguo, uma pequena comunidade de agricultores de milho e milheto, situada a cerca de 15 km do portão principal da Gorongosa, na estrada para a Vila da Gorongosa.

 

No domingo 27 abril de 2013, às 9h, realizou-se a cerimónia. Preparam-se os panos sagrados pretos e brancos, espalhadou-se farinha de milho sobre as rochas e o solo, acendeu-se um cigarro para ofertar, e vinho tinto foi espirrado ao redor do altar improvisado. Mãos aplaudiram em uníssono, as vozes entoando o seu pedido aos espíritos para concederem a sua bênção aos planos de perfuração de um poço. Os espíritos aprovaram e canecas de vinho tinto comemorativas foram passando por aqueles com idade para beber vinho. As crianças comemoraram com Fanta!

 

Foto: A broca penetra profundamente abaixo da superfície da água ... (por James Byrne)

 

No dia seguinte, um enorme caminhão saiu da N1 e meteu pela estrada de terra para Nhanguo. As pessoas reuniram-se para assistir à broca enorme na estrutura do camião a ser erguida e a perfurar a terra. Cada peça de perfuração media cerca de 5 metros de comprimento e os trabalhadores aparafusaram peça após peça, até que o furo tivesse 60 metros de profundidade em relação ao solo em que nos encontrávamos. A cada 5 metros tomaram amostras do solo, colocando-as no chão. Primeiro, o solo era castanho pálido, depois ficou mais claro, seco e poeirento até que chegaram mais perto de água. Em seguida, o solo ficou mais escuro, mais húmido, e começou a agregar-se. Os trabalhadores sabiam que estavam perto da água pura e fresca escondida debaixo de milhões de anos de sedimentos e rocha ...

 

Foto: Amostras de solo tiradas a diferentes profundidades. Solos mais profundos à direita. À esquerda em cima é a superfície do solo. Em baixo à direita é o solo húmido perto da água a 60 metros. (por James Byrne)

 

Finalmente, a água jorrou do buraco, molhando as crianças que corriam para se esconderem e ensopando os que foram demasiado lentos para reagir. Sorrisos tão amplos quanto o Rio Pungué rasgavam os rostos dos espectadores. As mulheres pareciam especialmente felizes. São elas que mais arcam com a obrigação de recolher água para as suas famílias. Até hoje, elas viam-se obrigadas a caminhar sete quilómetros até ao poço mais próximo, para voltar pesadamente carregadas sob o sol quente. A partir de hoje, a água fresca e limpa estará a apenas alguns passos de distância!

 

Foto: A partir de agora, esta criança de Nhanguo vai desfrutar de água limpa e fresca! (por James Byrne)

 

Este poço, e outros como este, foi tornado possível graças ao Projecto de Restauração da Gorongosa e às receitas do turismo no parque. 

 

Categoria: 
Diários da Selva